Cintilografia mamária com SESTAMIBI

A Cintilografia mamária com SESTAMIBI-99mTc é realizada para a detecção de lesões suspeitas ou para afastar malignidade de lesões conhecidas?

A cintilografia mamária tem sido realizada na diferenciação de lesões mamárias palpáveis e mamas densas a mamografia, assim como de lesões cicatriciais e recidiva tumoral em pacientes já operadas. Devido a seus aspectos técnicos, lesões abaixo de 1 cm podem não ser identificadas, desta forma, a mamografia continua sendo o método de escolha para triagem ou avaliação inicial das lesões mamárias. A sensibilidade para lesões palpáveis da mama é em média de 90 a 95% e a especificidade em torno de 85%. Estes valores são reduzidos nos casos de lesões não palpáveis, com sensibilidade e especificidade de 72 e 80% respectivamente. Entre as vantagens do método está a possibilidade de detecção de lesões em pacientes portadoras de prótese mamária, assim como avaliar a existência de tumores multicêntricos, comprometimento axilar e identificação de pacientes possivelmente multidroga resistentes nas indicações de quimioterapia neoadjuvante. Além do tamanho do tumor, o tipo histológico tem um papel na sensibilidade do método. Maior sensibilidade na detecção dos carcinomas ductais, em relação aos tubulares ou mucinosos, devido a uma menor celularidade e índice mais baixo de crescimento.

A cintilografia mamária tem, portanto, seu papel nas patologias malignas da mama, como um método de avaliação complementar ou de diagnóstico diferencial em casos específicos e não como um método de triagem ou identificação de lesões malignas em seu estágio inicial.

Dra. Márcia Garrido Modesto Tavares, médica nuclear Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC) - São Paulo-SP

http://www.sbmn.org.br/site/duvidas_frequentes